Facebook Youtube IPDJ Comité Olímpico Comité Paralímpico Confederação do Desporto Fundação do Desporto Centro de Alto Rendimento UCI UEC Jogos Santa Casa
Início UVP-FPC Equipa Portugal Estrada BTT BMX Pista Escolas Ciclocrosse Ciclismo para Todos
Filiações 2019
Área do Utilizador
Parceiros Oficiais
Vantagens Filiados
Vantagens Filiados
Calendários
Calendário Nacional FPC
Calendários Regionais
Info. Desportiva
Documentos/Formulários
Formação
Formação
Centros BTT
Documentação
Centros BTT
Regulamentos
Gerais
Estrada
Pista
BTT
BMX
Ciclocrosse
Trial
Escolas de Ciclismo
Ciclismo para Todos
Antidopagem
Arbitragem
Disciplina
Contactos
UVP-FPC
Associações
Organizador Provas
Notícias
 
João Matias vence ao sprint em Viana do Castelo
Estrada
João Matias (Vito-Feirense-PNB) ganhou hoje a primeira etapa em linha do Grande Prémio Jornal de Notícias Leilosoc, uma ligação de 166,1 quilómetros, entre Monção e Viana do Castelo, que deixou Rafael Reis (W52-FC Porto) no topo da classificação geral.


A etapa terminou como se previa, numa discussão ao sprint entre um pelotão compacto. Beneficiando do trabalho da equipa e colocando-se de forma exemplar, João Matias ergueu os braços, após um arranque possante, a 100 metros da meta, que não teve resposta da concorrência. O segundo foi Leangel Liñares (Kuota/C. Paulino/Oviedo.es) e o terceiro foi Daniel Mestre (W52-FC Porto).

“Já conhecia esta chegada da edição transata e também sou de Barcelos, aqui perto. Sabia que tínhamos de entrar na frente na parte de paralelo, onde o Filipe Cardoso esteve na frente. Depois o Óscar Pelegri acelerou ao máximo e eu, assim que tive a meta à vista, arranquei e mais do que a força das pernas tive a força do querer. Agradeço a toda a equipa por esta vitória. Nos próximos dias há mais etapas que me assentam bem, como amanhã, mas vou pensar dia a dia. Felizmente, o que me atormentava, que era a primeira vitória do ano, já foi ultrapassado. Agora tudo será mais fácil”, considera o vencedor do dia.

Com o pelotão em ritmo lento – a média final foi de 33,844 km/h -, quatro corredores aproveitaram para resgatar o protagonismo durante a viagem: André Crispim (LA Alumínios-LA Sport), Júlio Gonçalves (JV Perfis/Gondomar Cultural), Paulo Silva (Fortunna/Maia) e Pedro Miguel Lopes (UD Oliveirense/InOutBuild). A vantagem máxima foi de 4m20s, mas a fuga esteve sempre controlada pelo pelotão, que sabia ser suficiente acelerar um pouco para colocar um ponto final na iniciativa, o que aconteceria a cerca de 25 quilómetros do final.

Paulo Silva aproveitou a escapada para vestir a camisola da montanha e Pedro Miguel Lopes entrou na discussão das classificações da montanha e das metas volantes, além de ser agraciado com o prémio da combatividade.

Depois de anulada a fuga, começaram outras lutas. Desde logo a da geral, com Rafael Reis a ser segundo na última meta volante e a ganhar, assim, dois segundos de bonificação. O primeiro foi o espanhol Raúl Rico (Vito-Feirense-PNB), que não ficou de mãos a abanar. Assumiu o comando das metas volantes e somou três segundos de bonificação que o colocaram no topo da geral da juventude.

Na chegada impuseram-se os corredores mais velozes, mas os homens da geral não tiveram percalços. Rafael Reis continua no topo da classificação, tendo agora 4 segundos de vantagem sobre Joni Brandão (Efapel). António Carvalho (W52-FC Porto) é o terceiro, a 5 segundos do companheiro de equipa. Rafael Reis é também o primeiro na classificação por pontos e a W52-FC Porto continua a encimar a tabela coletiva.

“Controlámos a etapa, deixando ir uma fuga que discutiu as bonificações na primeira meta volante. Na segunda já não havia fuga e, num sprint um pouco atribulado, consegui bonificar. No final queríamos ganhar com o Daniel Mestre, mas muita gente vinha com força. Acredito que em etapas mais duras, tudo será mais fácil para o Daniel. Temos a ambição de continuar de amarelo e temos várias opções para isso. Vamos analisar as várias opções táticas, em função das etapas”, afirmou Rafael Reis.

A segunda etapa em linha corre-se nesta quinta-feira, ligando Viana do Castelo (11h50) a Ovar (16h15). Pelo caminho há três contagens de montanha – primeira, terceira e segunda categoria -, a última a 32 quilómetros da chegada. Se nas subidas o ritmo não for demasiado forte, o final é propício para uma chegada ao sprint, na longa reta da Avenida da Régua.

Classificações completas: Clique Aqui
2019-06-05 - 17:17:00
Partilhar Facebook
« Voltar
 
 
Ciclismo Vai Escola
Inscrições Online
História do Ciclismo
História do Ciclismo
Marcos Históricos
Palmarés das Corridas Portuguesas
Volta a Portugal
PNED
Lojas Oficiais
Redes Sociais
Site desenvolvido por: Cyclop Net - Desenvolvimento de Sites Profissionais