Facebook Youtube IPDJ Comité Olímpico Comité Paralímpico Confederação do Desporto Fundação do Desporto Centro de Alto Rendimento UCI UEC Jogos Santa Casa
Início UVP-FPC Equipa Portugal Estrada BTT BMX Pista Escolas Ciclocrosse Ciclismo para Todos
Filiações 2019
Área do Utilizador
Parceiros Oficiais
Vantagens Filiados
Vantagens Filiados
Calendários
Calendário Nacional FPC
Calendários Regionais
Info. Desportiva
Documentos/Formulários
Formação
Formação
Centros BTT
Documentação
Centros BTT
Regulamentos
Gerais
Estrada
Pista
BTT
BMX
Ciclocrosse
Trial
Escolas de Ciclismo
Ciclismo para Todos
Antidopagem
Arbitragem
Disciplina
Contactos
UVP-FPC
Associações
Organizador Provas
Notícias
 
Guilherme Mota melhor português na quinta etapa do Tour do Futuro
Equipa Portugal
Guilherme Mota, 29.º classificado, foi hoje o melhor elemento da Equipa Portugal na quinta etapa da Volta a França do Futuro, uma seletiva viagem de 158,9 quilómetros, entre Espalion e Saint-Julien-Chapteuil.

A tirada desta segunda-feira desenrolou-se sob chuva e temperaturas que rondaram os 15 graus. Após um início em que o pelotão não autorizou qualquer fuga, quatro corredores lograram distanciar-se quando estavam percorridos cerca de 40 quilómetros.

A iniciativa de Morten Hulgaard (Dinamarca), Robin Froidevaux (Suíça), Ben Healy (Centro Mundial do Ciclismo) e Matteo Jorgenson (Estados Unidos da América) marcou a viagem, chegando a ter cerca de 4 minutos de vantagem. Francisco Campos e o austríaco Tobias Bayer ainda rolaram em posição intermédia, mas não tiveram hipótese de chegar à cabeça de corrida.

A dureza fez a seleção entre os fugitivos, que acabaram por discutir a etapa. O mais forte foi o irlandês Bem Healy, que triunfou graças a um ataque a solo, desferido nos 5 quilómetros finais. Morten Hulgaard foi o segundo, a 2 segundos, e Matteo Jorgenson fechou o pódio da etapa, a 5 segundos.

O pelotão, encabeçado pelo britânico Thomas Pidcock, chegou 1m31s depois do vencedor. Guilherme Mota, 29.º, e Gonçalo Carvalho, 32.º, chegaram no grupo principal, assumindo-se como os portugueses em melhores condições de lutar por um bom resultado na classificação geral. Jorge Magalhães foi o 89.º, a 10m02s, e Francisco Campos fechou as contas nacionais de hoje, no 111.º lugar, a 19m49s.

O francês Simon Guglielmi segurou a camisola amarela, dispondo de 1 segundo de margem para o italiano Giovanni Aleotti e de 41 segundos para o norueguês Tobias Foss. Gonçalo Carvalho subiu ao 48.º lugar, a 4m33s do primeiro. Guilherme Mota é o 51.º, a 4m51s. Jorge Magalhães ocupa a 79.ª posição, a 14m07s, e Francisco Campos é o 120.º, a 35m28s. A Equipa Portugal continua na 19.ª posição coletiva, num pelotão que iniciou a competição com 26 equipas.

A sexta etapa, a disputar nesta terça-feira, antecede a jornada de repouso. O mapa aponta para uma ligação de 124 quilómetros, entre Saint-Julien-Chapteuil e Privas. Um prémio de montanha de terceira categoria, logo a abrir a tirada, e um de quarta, a 13 quilómetros da meta, não impedem os sprinters de sonhar com uma chegada em pelotão.
2019-08-19 - 16:16:00
Partilhar Facebook
« Voltar
 
 
120 Anos FPC
Ciclismo Vai Escola
Inscrições Online
História do Ciclismo
História do Ciclismo
Marcos Históricos
Palmarés das Corridas Portuguesas
Volta a Portugal
PNED
Lojas Oficiais
Redes Sociais
Site desenvolvido por: Cyclop Net - Desenvolvimento de Sites Profissionais